FECHAR
 
 
Saber escolher

Até que ponto o homem é livre e quando pode-se dizer condicionado? Na história de Adão e Eva eles foram livres? O Adão quando questionado por Deus sobre sua desobediência disse: 'A mulher que tu me deste por companheira, foi ela que me deu do fruto da árvore, e eu comi' (Gn 3,12). E Eva quando questionada respondeu: 'A serpente enganou-me e eu comi' (Gn 3,13). Ambos foram condicionados. 


O estudo deste texto vai demostrar que seu autor tinha como preocupação explicar a entrada do mal no mundo, pois Deus criou somente coisas boas, então, de onde veio o mal? E vai concluir que o mal entrou no mundo pela desobediência ou pelo mau uso da liberdade humana.


Por outro lado, no evangelho, quando a multidão se acercava de Jesus a ponto de não conseguir comer, seus parentes pensavam que estivesse louco e queriam levá-lo para casa. Os mestres da Lei diziam: “Ele está possuído por Belzebu, e pelo príncipe dos demônios ele expulsava os demônios” (Mc 3, 22). E a multidão queria resolver seus problemas, por isso buscava a Jesus. 


Fica claro que Jesus não tem qualquer aliança com o Demônio e nem com o poder do mal. Ele deseja ser reconhecido por sua relação de obediência com Deus Pai e convida todos aqueles que desejarem, para que façam parte da sua comunidade, que é uma família. Ele pergunta: 'Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?' E responde: Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe' (Mc 3, 33.35). A mesma situação e quatro perspectivas bem diferentes.


Na narração do evangelho vemos que a liberdade está em proteger e defender o foco de seus interesses. Então poderíamos concluir que a liberdade é relativa aos interesses de cada um. Jesus diria que não, que é livre aquele faz a vontade de Deus. 


O Pe Zezinho, que no próximo dia 8 completa seus 80 anos de vida, já gravou 67 discos e vendeu oito milhões de cópias, escreveu uma canção intitulada “Em prol da vida”, na qual ele canta: “Diante de ti ponho a vida e ponho a morte. Mas tens que saber escolher. Se escolhes matar, também morrerás. Se deixas viver, também viverás. Então viva e deixa viver.” 


Vivemos uma época de rápidas mudanças culturais e para explicar se criou uma palavra nova, chamada de pós-verdade (além da verdade) que é a aceitação por afinidade de informações manipuladas, independentemente de serem verdadeiras ou falsas e que pelas redes sociais são disseminadas rapidamente. Para o filósofo Leibniz, liberdade e verdade formam um par inseparável: só é verdadeiramente livre aquele que age de acordo com o conhecimento da verdade. Sendo assim, quem produz notícias falsas ou “Fake News” é livre ou escravo? Jesus diria que é uma pessoa escrava do seu pecado. Escolheu mal, escolheu mentir.


Jesus quer formar família com todos os que n’Ele acreditam e partilham do sonho de Deus para a humanidade. São Paulo mostra que os sofrimentos que enfrenta não diminui o seu ardor missionário, por causa da grande confiança em Deus e na vida eterna (cf. 2ªCor 4,13-18). Quem escolhe a enganação, onde está sua confiança e onde espera chegar ao final desta vida? É preciso saber escolher!


 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas