FECHAR
 
 
Mães que oram pelos filhos

No final de semana 16 a 18 de abril acontece o VII Encontro Nacional de “Mães que oram pelos filhos”, com o lema “Fica conosco Senhor, Teu amor nos sustenta!” (Lc 24,29). O local do encontro será onde chegar o sinal da TV Canção Nova. 


Este movimento da Igreja Católica nasceu em 30 de março de 2011, na Paróquia São Camilo de Léllis, em Mata da Praia, Vitória – ES. Tudo começou quando a Vanessa Campos Ferreira Menin obteve um exemplar do livro “Todo filho precisa de uma mãe que ora” e solicitou à sua mãe Ângela Abdo Campos Ferreira que começassem a rezar em família pelos filhos, em sua própria casa. No início, seis mães, movidas por uma vontade muito grande de interceder pelos seus filhos. Logo o grupo tinha cerca de vinte mães, vindas de famílias católicas, que se reuniam uma vez por semana para orar pelos seus filhos. 


A demanda inicial era buscar ajuda e orientação para a educação religiosa dos filhos diante do contexto atual e aprender a orar e interceder por eles. As mães então iniciaram uma caminhada, sem ainda compreender a vocação espiritual de ser mãe.


O projeto teve resultados imediatos. O número de mães começou a aumentar gradativamente, como também as graças recebidas e compartilhadas. O amadurecimento da fé, a evangelização de forma simples e direta se tornaram fortes na vida dessas mães. Assim, além de aprender a orar e discernir o que pedir a Deus, o grupo também se tornou missionário, espalhando e compartilhando experiências de forma solidária.


Uma mãe mudou-se para os Estados Unidos e fundou o primeiro grupo no exterior. Algum tempo depois, outra mãe vai para Hong Kong e funda um grupo.


O desejo das mães era de caminhar com a Igreja, buscaram orientação e em dezembro de 2014, o Grupo de Mães passou a ser um Movimento reconhecido pela Arquidiocese de Vitória do Espírito Santo, tendo como orientador espiritual o Padre Anderson Gomes. Organizaram manual e regimento.


A padroeira escolhida foi Nossa Senhora de La Salette, a mãe que chora pelos pecados e erros de todos os filhos e a copadroeira Santa Mônica, que chora pelo seu filho, que pela força da oração de sua mãe se tornou Santo Agostinho.


Depois do encontro “O poder da mãe que ora”, transmitido para o mundo pela Canção Nova, o Movimento ganha corpo e velocidade. Desta data em diante, a ideia é abraçada por muitas mães de norte a sul do Brasil e em alguns países do mundo, com o apoio dos seus bispos e párocos.


O Movimento Mães que Oram pelos Filhos tem atingido seus objetivos de interceder em favor dos filhos e formar mães para serem intercessoras que estarão a serviço, segundo o coração de Deus, para salvar as almas dos seus filhos e os do mundo inteiro.


Por fim, sempre ligadas à Igreja, as Mães descobrem as bênçãos de participar das ações apostólicas e levar a outras pessoas do seu círculo social e profissional o seu testemunho. Muitas mães passaram a exercer cargos de liderança nas pastorais da paróquia.


 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas