FECHAR
 
 
Amados, chamados a ouvir e enviados

Desde 1981, em agosto, é celebrado o mês Vocacional, que neste ano, acontece dentro do Ano Vocacional Diocesano, cujo encerramento acontecerá na próxima Romaria de Nossa Senhora Conquistadora. 


O objetivo do Ano Vocacional não difere do Mês Vocacional, que é despertar comunidades e agentes para uma cultura e consciência vocacional. Esta meta permanece como um desafio, mas a consciência vocacional já vem crescendo gradativamente e os meses vocacionais muito têm contribuído para este fim.


Todas as vocações precisam ser estimuladas, a começar pela vocação à Vida Familiar e aos Ministérios Leigos, mas de maneira especial aos Ministérios Ordenados e à Vida Religiosa. Todas as vocações são necessárias para a vitalidade da Igreja. É muito importante que nossas famílias, comunidades e paróquias se comprometam com a vocação e missão evangelizadora da Igreja.  


As vocações com inspiração bíblica têm como linha comum a obediência a Deus e a gratuidade: fazer da vida um dom, um serviço por amor ao seu Criador é a referência de todos os vocacionados. Neste processo, a oração é indispensável. As famílias, comunidades e paróquias são exortadas para que orem ardorosamente pelas vocações. “Peçam ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para a colheita” (Mt 9,38).


As atividades vocacionais, em nossa Diocese, são articuladas pelo Serviço de Animação Vocacional (SAV), coordenado pelo Reitor e Seminaristas do Seminário Maior Nossa Senhora Conquistadora, em Santa Maria. Além da oração, outro destaque acentuado pelo SAV para desenvolver a cultura e consciência vocacional são as Equipes Vocacionais Paroquiais (EVPs). Esta atividade já está organizada em todas as paróquias da Diocese. O objetivo das EVPs é auxiliar as crianças e jovens a abrirem o coração para Deus em oração e elaborar um Projeto de Vida, e consequentemente fazer o discernimento vocacional. 


O primeiro domingo de agosto é dedicado ao Ministério Ordenado: dos diáconos, padres e bispos. Pelo sacramento da Ordem, o próprio Jesus Cristo, Filho de Deus, o Sumo Sacerdote, os chama, prepara e envia em missão a fim de reconciliar toda a humanidade com Deus. A esta vocação compete ser pastor e pai espiritual para todos sob sua responsabilidade. “Vinde após mim, e eu farei de vós pescadores de homens” (Mt 4,19). Pela caridade pastoral, o ministro ordenado deve buscar ser sinal de unidade e contribuir para a edificação e crescimento da comunidade para que se torne cada vez mais atuante e verdadeira na vivência do Evangelho


Para criar e aprofundar a cultura e clima vocacional o Papa Francisco exorta: “Não sejam surdos ao chamado do Senhor! Se Ele os chamar, não se oponham, mas confiem nele. Lembrem-se que o Senhor promete sempre, aos que deixam tudo para segui-lo, a alegria de uma vida nova, que enche o coração e anima nosso caminho” (56° Dia Mundial de Oração pelas Vocações).


Como bons cristãos, sejamos promotores da cultura e consciência vocacional, sobretudo, através da oração e do estímulo.


 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas