FECHAR
 
 
Agentes da Pastoral da Comunicação participam do 12º Muticom

A 12ª Edição do Mutirão de Comunicação (Muticom) aconteceu nos dias 23 e 24 de julho, no módulo totalmente virtual. O evento é promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), com realização da Pascom Brasil, Signis Brasil e Rede Católica de Rádios.

Padre Evandro Carvalho, referencial da Pastoral da Comunicação na Diocese, participou on-line juntamente com milhares de comunicadores. Com 5.600 participantes, a 12ª edição do Mutirão de Comunicação entra para a história da Igreja no Brasil como um dos maiores eventos de comunicação realizado no país. 

A assessora de Comunicação da CNBB, Manuela Castro, e o presidente da Signis Brasil, Alessandro Gomes, foram os mestres de cerimônia que conduziram a programação que contou com grandes nomes da comunicação no Brasil, tais como Massimo di Felice, Moisés Sbardelotto, Norval Baitello Júnior, Viviane Mosé, Elizabeth Saad, entre outros. O presidente da Signis Brasil reforçou o objetivo do Mutirão: “Ser um espaço de estudo, troca de experiências e apontamentos de novos rumos para a comunicação católica brasileira”.


A mesa de abertura, na sexta-feira às 17h30, foi composta pelo presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e arcebispo de Belo Horizonte (MG), dom Walmor Oliveira de Azevedo, pelo bispo auxiliar de Belo Horizonte e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB, dom Joaquim Giovani Mol. O presidente da CNBB agradeceu a realização do encontro com uma programação de altíssima qualidade oferecido à Igreja no Brasil pela Comunicação da CNBB e pelos parceiros. “Tenho certeza que as marcas deste Mutirão impulsionarão a Igreja no Brasil cada vez mais em sua tarefa missionária, qualificando-nos a todos e fazendo de nós verdadeiros comunicadores”, disse.


Dom Walmor leu uma mensagem enviada especialmente ao encontro pelo Papa Francisco: “Os cristãos são chamados a ser um sinal de esperança e solidariedade na sociedade brasileira tão atingida pela atual pandemia (…). Ser sinal de esperança significa em primeiro lugar ser instrumento de reconciliação e unidade, missão da Igreja no Brasil”, diz um trecho da mensagem.


Na mensagem, o Papa afirma que os comunicadores cristãos devem estar na linha de frente na promoção de uma comunicação que constrói pontes, que busca o diálogo e supera as aporias ideológicas, certo de que todos somos responsáveis pela comunicação que fazemos, pelas informações que damos e pelo controle que podemos, conjuntamente, exercer sobre as notícias falsas, desmacarando-as. O Santo Padre enviou a todos os participantes uma bênção apostólica e pediu que rezem por ele.


Fonte: com informações da CNBB


 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas