FECHAR
 
 
“O Amor na família: vocação e caminho da santidade”

Entre os dias 22 e 26 de junho, a Igreja Católica em todo o mundo celebrará o X Encontro Mundial das Famílias. O evento acontecerá em Roma, mas com iniciativas globais nas dioceses do mundo inteiro. 


O tema será “O Amor na família: vocação e caminho da santidade”. O termo “vocação”, de significativa importância, deriva do verbo latino “vocare”, que quer dizer “chamar”. Dentre os batizados, alguns são chamados por Deus para a vida sacerdotal ou religiosa; outros, em número bem maior, à vida matrimonial, que também se configura como uma vocação, como um chamado de Deus. 


O SIM dado pelos esposos no dia do casamento deve, porém, ser renovado diariamente, o que só se torna possível quando o chamado ao Amor for sustentado pela graça de Deus. O que exige uma acolhida contínua dessa mesma graça para que os cônjuges aprendam gradualmente, com paciência, a amar como Jesus ama. 


Na verdade, todos nós, batizados, somos chamados à santidade. “Bendito seja Deus, (...) que nos escolheu antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele no amor” (Ef 1, 3-4). A vida familiar, inevitavelmente, tem laços complexos e relações nem sempre fáceis, mas é um espaço favorável para a vivência do mandamento do amor. A vida em família exige renúncias e mudança de atitudes para permitir que seus membros amem como Cristo ama.


Em nossa Diocese realizamos um “Ano Vocacional Diocesano” para conscientizar as pessoas e comunidades quanto ao alcance e beleza da vocação e do chamado à santidade. Deus não chama todos de maneira anônima e genérica, mas dirige a cada um de nós um apelo pessoal. O Papa Francisco, na Exortação Apostólica Gaudete et Exsultate (GE), nos exorta a responder ao chamado à santidade: “Gosto de ver a santidade no povo paciente de Deus: nos pais que criam os seus filhos com tanto amor, nos homens e mulheres que trabalham a fim de trazer o pão para casa, nos doentes...” (GE 7). 


Mais adiante, na mesma exortação, o Papa afirma: “Para ser santo, não é necessário ser bispo, sacerdote, religiosa ou religioso. Muitas vezes somos tentados a pensar que a santidade esteja reservada apenas àqueles que têm possibilidade de se afastar das ocupações comuns, para dedicar muito tempo à oração. Não é assim. [...] Estás casado? Sê santo, amando e cuidando do teu marido ou da tua esposa, como Cristo fez com a Igreja. És um trabalhador? Sê santo, cumprindo com honestidade e competência o teu trabalho ao serviço dos irmãos. És progenitor, avó ou avô? Sê santo, ensinando com paciência as crianças a seguirem Jesus. Estás investido em autoridade? Sê santo, lutando pelo bem comum e renunciando aos teus interesses pessoais” (GE 14).


A vocação à santidade é inerente ao nosso batismo; por isso, todo cristão é chamado a ser santo. Todos somos chamados por Deus a sermos o melhor que podemos ser. Cada um pode perguntar-se: já me senti chamado e guiado por Deus no caminho da santidade?  


Convidamos a todos para interessar-se e orar pelo X Encontro Mundial das Famílias! 


*Fonte: Catequeses em preparação ao X Encontro Mundial das Famílias


 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas