FECHAR
 
 
“Como o Pai me enviou, também eu vos envio” (Jo 20,21)

Com a vinda do Espírito Santo sobre a comunidade dos discípulos de Jesus, eles ficaram repletos de seus dons e começaram a falar em outras línguas. O principal dom do Espírito é possibilitar que o Evangelho de Jesus seja anunciado e compreendido por todos. Seu anúncio não é privilégio de um único povo, mas é destinado a todas as culturas e povos da Terra.


Jesus havia prometido aos apóstolos o Advogado que completaria seus ensinamentos e os transformaria de fracos em fortes, de medrosos em corajosos, para pregarem a novidade do Reino de Deus a todos os povos, enfrentarem as perseguições e até a morte pelo Reino de Deus. 


Com a vinda do Espírito Santo, nasce a Igreja, a comunidade de Jesus. A Igreja nasce missionária, enviada a todos sem exceção. A Igreja nasce como família, como comunidade enriquecida de diferentes dons, mas todos em vista do bem comum. Assim, a plenitude do Espírito está na unidade da diversidade, pois deve haver um só rebanho e um só pastor (cf. Jo 10,16c). 


O Papa Francisco, com outras palavras, atualiza o envio de Jesus aos discípulos de nosso tempo: “Saiamos, saiamos para oferecer a todos a vida de Jesus Cristo! (...) Se alguma coisa nos deve santamente inquietar e preocupar a nossa consciência é que haja tantos irmãos nossos que vivem sem a força, a luz e a consolação da amizade com Jesus Cristo, sem uma comunidade de fé que os acolha, sem um horizonte de sentido e de vida” (EG, 49).


Assim a Igreja é missão, dom e compromisso de todos os batizados. Quem não puder sair deve colaborar financeiramente com a Ação Missionária em outras terras. Por isso, temos na celebração de Pentecostes uma coleta como oportunidade de firmarmos o nosso compromisso com uma Igreja Missionária. O Rio Grande do Sul mantém uma missão permanente em Moçambique.  São 27 anos de história e mais de 65 missionários enviados ao país africano. Os missionários são responsáveis por duas paróquias que somam cerca de 150 comunidades e mantêm dois projetos sociais na área de educação: uma Biblioteca Comunitária, que recebe por dia em torno de 50 alunos, e o projeto de alfabetização e reforço escolar, que acompanha cerca de 100 crianças e adolescentes e oferece também uma turma de alfabetização para 20 mulheres. 


Para garantir a sustentabilidade do Projeto Igrejas Solidárias, entre o Regional Sul 3 e a Arquidiocese de Nampula, a Igreja do Rio Grande do Sul conta com o apoio dos fiéis de todo o Estado. Na celebração de Pentecostes, dias 22 e 23 de maio, as paróquias e comunidades de todo o Rio Grande do Sul realizam a coleta que mantém esta e outras ações missionárias.


A coleta é feita nas celebrações, mas aqueles que desejarem também podem contribuir pela conta: Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – Banco Sicredi, Cooperativa: 0116 – Conta Corrente: 08355-0 – Pix: 33685686001041


O seu apoio é fundamental para garantir o bom êxito de nossa Ação Missionária.


 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas