FECHAR
 
 
Um Mandamento

No Evangelho, no ambiente da última ceia, Jesus orienta aos seus discípulos, de todos os tempos, como se manterão em comunhão com Ele em sua ausência física. Ele promete (é promessa) que não estarão sozinhos, sempre terão a sua assistência através do Espírito Santo.


A vivência de um mandamento é a garantia da constante presença de Jesus em sua comunidade. Uma regra de vida, simples e acessível a todos; poderíamos chamar de o estatuto ou mandamento do amor. “Eu vos dou um novo mandamento: amai-vos uns aos outros. Como eu vos amei, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros” (Jo 13, 34).


No capítulo 14 do Evangelho de João, Jesus se apresenta como “o caminho” (cf. Jo 14,6) e convida os discípulos a percorrer esse mesmo “caminho” (cf. Jo 14,4-5). O que é que isso significa? Que o mandamento do amor é um percurso a ser desenvolvido, não atingível plenamente de uma só vez e de forma intelectual. Jesus, enquanto esteve no mundo, percorreu esse “caminho”: o da entrega ao homem, o do serviço, o do amor total. É nesse “caminho” que o discípulo atingirá a vivência do amor e se realizará.


A imagem do “caminho” expressa o dinamismo da vida do discípulo de Jesus, que é processo, é progressão. O discípulo precisa percorrê-lo para alcançar a plena maturidade neste mundo. Completar o percurso significa desenvolver todas as potencialidades na direção da vida definitiva.


Antes de sua partida, Jesus conforta, orienta e promete o Espírito Santo aos discípulos, para que continuem a percorrer esse “caminho”. A função do Espírito Santo é “ensinar” e “recordar” tudo o que Jesus ensinou. Trata-se de uma presença dinâmica, que auxiliará os discípulos trazendo-lhes continuamente à memória os ensinamentos do Mestre e ajudando-os a ler as propostas de Jesus à luz dos novos desafios que o mundo lhes apresentar.


A comunidade cristã e cada discípulo se tornam a morada de Deus. Torna-se morada de Deus a pessoa que escuta e guarda a Palavra de Jesus. Assim, cria-se uma nova relação entre Deus e essa pessoa. Deus habita de forma íntima e profunda nessa pessoa e, também, na comunidade de fé.  


Assim, a pessoa humana torna-se um templo da presença de Deus. Cada cristão, que assume o projeto de Deus, vive o mandamento do amor torna-se MORADA, onde Deus se encontra e se manifesta ao mundo. A comunidade de fé é o espaço por excelência onde a pessoa exercita o discipulado e treina a vivência do mandamento do AMOR, a partir do qual se faz morada de Deus.


“Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei em sua casa e tomarei a refeição com ele e ele comigo” (Ap 3,20). Deus quer fazer morada em minha vida, quer fazer festa comigo. Qual tem sido a minha resposta?


Dom José Mário S. Angonese

Bispo Diocesano




 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas