FECHAR
 
 
Solenidade da Festa de Cristo Rei e Ano do Laicato

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) decidiu, em sua LIV Assembleia Geral Ordinária, de 2016, realizar o Ano Nacional do Laicato, em comemoração aos 30 anos do Sínodo Ordinário sobre os Leigos, de 1987, e da exortação apostólica Christifideles Laici (Os fiéis leigos), de São João Paulo II, sobre “Vocação e missão dos leigos na Igreja e no mundo”, de 1988.

Este Ano do Laicato, celebrado desde a solenidade de Cristo Rei de 2017, encerrar-se-á na mesma solenidade, em 25 de novembro de 2018. A Igreja no Brasil comemora o dia nacional dos cristãos leigos e leigas nessa solenidade, em memória do compromisso que os membros da Ação Católica – organização laical de grande envergadura no século passado – assumia a cada ano, nesse dia, de agir em prol de uma sociedade justa e fraterna, sinal do Reinado de Cristo.

O tema do Ano Nacional do Laicato, “Cristãos leigos e leigas, sujeitos na Igreja ‘em saída’, a serviço do Reino”, deriva do Documento 105 da CNBB, intitulado Cristãos leigos e leigas na Igreja e na sociedade. O subtítulo desse documento, “Sal da terra e luz do mundo (Mt 5,13-14)”, tornou-se lema deste Ano.

O Ano Nacional do Laicato está estimulando os cristãos leigos e leigas a se assumirem mais como “sujeitos na Igreja e na sociedade”, credibilizados pelo Documento 105 da CNBB e por outros documentos do magistério eclesial, de modo especial do papa Francisco. O papa tem insistido sobre a índole secular da missão laical, o potencial evangelizador da pastoral popular e a importância da religiosidade popular bem orientada.


O dinamismo eclesial propiciado por este Ano, do ponto de vista celebrativo, formativo e sociopastoral, demonstra que a Igreja deve continuar potencializando a corresponsabilidade laical em sua missão, favorecendo a participação dos cristãos leigos e leigas em todas as suas instâncias, mantendo, no entanto, o foco na eficiência da presença e atuação laical na vida pública.


Em decorrência, a formação, sobretudo de novas gerações de cristãos leigos e leigas, além de ser priorizada, deve ser praxiológica e progressivamente coletiva, conjugando teoria e prática, em processos coletivos crescentes. O diagnóstico participativo sobre o laicato é exemplo significativo de instrumento pedagógico a ser utilizado para que a atuação dos cristãos leigos e leigas continue sendo vivaz após “fecharem-se as cortinas” do Ano Nacional do Laicato.


Dom José Reginaldo Andrietta

Membro da Comissão Especial da CNBB para o Ano Nacional do Laicato.

 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas