FECHAR
 
 
Padres da Diocese participaram do Retiro anual em Vale Vêneto

Dos dias 06 a 09 de agosto, os padres da diocese se reuniram em Vale Vêneto para o Retiro Anual do Presbitério. O pregador foi padre Luciano Eduardo da Silva, ex-monge e atualmente trabalha na Paróquia da Ressurreição, em Santa Maria. Padre Luciano meditou sobre a vida do padre à luz da Iniciação a Vida Cristã.

Retiro é a renovação da Aliança
Padre Luciano destacou a importância do retiro como um chamado ao deserto, lugar  da aliança de Deus com o seu povo. "O Retiro é a renovação da Aliança. Numa formação se vai para aprender algo novo no nível intelectual. No Retiro eu vou para escutar coisas que eu já estou cansado de saber, mas eu vou para escutar de um novo jeito. O objetivo do retiro não é para sair com novos conhecimentos e sim, promover a conversão. Um tempo para entrar dentro de si. Isto exige coragem", comentou. 

Itinerário espiritual de conversão à luz da IVC
O retiro é um tempo de conversão, disse padre Luciano. Quando falamos em Iniciação à Vida Cristã (IVC) retornamos a mais pura Tradição (apóstolos) da vida cristã encontrada na prática catecumenal, ou seja, temos a chance de olhar novamente para nossas origens cristãs e reforçarmos a nossa identidade. "Nesse processo que é de conversão permanente o padre precisa se perguntar: O que significa amadurecer, crescer na Fé, na perspectiva da IVC, enquanto presbítero? Como viver a iniciação cristã em nossa condição de ministros ordenados?", disse.

Consequência da escolha de Cristo. 
O pregador falou também de pontos essenciais na vida do padre como a humildade, castidade e eclesialidade. "Eles se referem a vida de todo o batizado, mas exprimem de maneira particular a atitude interior primordial de quem progride na Iniciação à Vida Cristã na qualidade de presbítero", destacou. 

Na humildade o padre se reconhece miserável e se assume diante da misericórdia de Deus. Aprende de Cristo a ser humilde. Nos padres a castidade é vivida sob a forma do celibato. O celibato não é um "não casar-se" e sim um compromisso com alguém. "No celibato todo o meu ser está envolvido na minha opção de seguir a Cristo enquanto padre, numa entrega idêntica a que Ele fez na última ceia, ao dizer  “isto é o meu corpo que será entregue por vós...”. O celibato é uma atitude eucarística", disse. Já na eclesialidade é pensar com a Igreja. Mais do que entrar na Igreja, o crente é acolhido por ela. Obedecer a Igreja trata-se de uma atitude espiritual de Cristo obediente ao Pai.

Importância da Oração
Ao final do retiro padre Luciano falou da importância da oração. "Não se pode falar de uma relação entre Cristo e mim fora do âmbito da oração. Para ser um “homem de oração” o padre é chamado a fazer de sua prática de oração sua própria vida e fazer de sua vida a oração. “A oração é ter Deus na memória”, já dizia São Basílio."

O Retiro foi encerrado com a Santa Missa presidida por dom José Mário e com a acolhida dos padres Leandro Francisco, Mário Auzani e Venildo dos Santos, nova equipe representante dos presbíteros da Diocese. 

Confira as fotos aqui.

 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas