FECHAR
 
 
Mesmo com chuva os devotos de Nossa Senhora Conquistadora foram fieis a Romaria Diocesana

No último domingo do mês de outubro (27), a Diocese de Uruguaiana esteve em festa para celebrar a 28ª Romaria Diocesana em honra a Nossa Senhora Conquistadora. Este ano o tema "Com a mãe Conquistadora, somo igreja em missão", refletiu sobre a importância das comunidades eclesiais missionárias. Devido a chuva forte que acometeu a cidade de Uruguaiana no domingo, a procissão não aconteceu, mas houve a acolhida com orações na Catedral Sant’Ana e logo após, às 10h, Santa Missa no ginásio do quartel 22º GAC, frente ao Santuário Diocesano. 


Nem a chuva desestimulou os romeiros a participarem da 28ª Romaria, como foi o caso da dona Celi Soares da Silva, da Paróquia Nossa Senhora Conquistadora, de Alegrete. Ao ser perguntada sobre a sua motivação para participar da 28ª Romaria Diocesana apensar da intensa chuva, ela respondeu: "As bençãos recebidas pela Nossa Senhora Conquistadora e a minha fé me motivaram. Muitas graças e bençãos eu recebo e estou participando há 26 anos da Romaria. Pretendo participar muito mais, se Deus me conceder a graça da saúde para que eu possa vir. Digo para as pessoas que acompanhem a Nossa Senhora, que acreditem nela, pois ela é Mãe e tem muita força."


Presidida por Dom José Mario Angonese e concelebrada pelos padres da diocese, a Missa que reuniu centenas de peregrinos vindos das paróquias, deu destaque para a fé louvável dos romeiros que marcaram presença em massa apesar da forte chuva. O Mês Missionário Extraordinário e o Sínodo da Amazônia, que encerrou exatamente no domingo, dia 27, também foram ressaltados.


"Há a preocupação do Papa Francisco em ser uma igreja voltada para uma comunidade que viva o projeto de Jesus, por isso o Mês Missionário Extraordinário. E em Roma encerrou-se o Sínodo da Amazônia, onde a inquietação do Papa Francisco em primeiro lugar foi a evangelização e preservação daquele imenso território da Amazônia, onde nós católicos ainda somos minoria", comentou dom José Mário. 


Ao destacar o lema do mês missionário: "batizados e enviados", o bispo diocesano falou que todos os batizados devem sentir-se comtemplados no envio dos 72 discípulos, referindo-se ao Evangelho de Lc 10, 1-9,  proclamado na Missa da Romaria. Continuou dizendo que cada batizado é enviado e faz parte da sua fé, da vivência da sua religião a missionariedade. "Jesus chamava, falava, enviava e depois na volta avaliava com eles como havia sido a experiência da missão. Os Atos dos Apóstolos ao narrar a missão das primeiras comunidades cristãs, afirma que os discípulos estavam tão alegres que cada um queria contar primeiro tudo o que tinham feito. É assim normalmente com os verdadeiros missionários", disse o bispo. 


Dom José Mário, também aproveitou a ocasião para falar da nova santa brasileira, Santa Dulce dos Pobres. "Irmã Dulce, também teve como modelo Maria, pois quis viver e fazer aquilo que agradava a Deus. A messe é grande, mas os operários são poucos. Pedi, pois ao Senhor da messe e ele vos ouvirá", comentou ao lembrar da vocação da Santa Dulce e da importância de sempre rezar pelas vocações. 


Ainda durante a missa foi realizada uma motivação para a coleta e o cadastramento de colaboradores para a construção do Santuário Diocesano, dentro da Campanha "Casa Tua, nosso Templo", que será a futura casa da Mãe Conquistadora.


28ª Romaria de Nossa Senhora Conquistadora, encerrou com benção individual da saúde aos peregrinos, benção de objetos religiosos e de envio. Após, os fieis permaneceram almoçando no local.  

 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas