FECHAR
 
 
Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora 2019-2023

A Diocese de Uruguaiana já se organiza frente às Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja do Brasil 2019-2023, a partir do estudo do Documento 109 da CNBB (Conferência dos Bispos do Brasil), que foi aprovado pela 57ª Assembleia Geral da CNBB, realizada em Aparecida – SP, de 1º a 10 de maio de 2019. No dia 6 de julho, a Equipe dos Formadores diocesanos esteve reunida para estudar esse documento e organizar-se para ele seja conhecido em todas as paróquias e comunidades da Diocese.


A preocupação da Igreja com as novas diretrizes não é com a quantidade, mas com a qualidade de cristãos, que, tendo feito a experiência do encontro com Cristo, sejam testemunhas da alegria no mundo carente de sentido. O eixo fundamental das novas diretrizes é a recuperação da imagem da casa. Essa imagem da casa tem um significado pedagógico e é considerada lar e espaço de vida. A casa, no texto das diretrizes, é entendida como comunidade eclesial missionária sustentada por quatro pilares:


A Palavra – que aprofunda a iniciação à vida cristã e a iniciação bíblica e aponta a proposta de comunidades fundadas em torno da Palavra, os grupos de reflexão;


O Pão – que aprofunda a liturgia e a busca por viver a espiritualidade rumo à santidade, como defende o Papa Francisco na exortação apostólica Gaudete et exsultate, que personaliza a fé mas leva ao encontro do outro;


A Caridade – baseado no que disse Paulo VI na ONU: “Que a Igreja é especialista em humanidade”, o texto das diretrizes aponta a necessidade das comunidades se preocuparem com os que mais sofrem e a defesa da vida em todos os sentidos, inclusive do planeta Terra.


A Missão – a exemplo do que pede o papa, o sentido da comunidade se realiza quando ela sai em missão e vai ao encontro das periferias existenciais. A casa é abrigo, referência; mas a razão de ser é a Missão.


Nossas diretrizes se inspiram nos Atos dos Apóstolos, que dizem que os discípulos eram perseverantes e tinham tudo em comum. Da mesma forma, a humanidade hoje também é convidada a ser perseverante e a partilhar, apesar das dificuldades e dos problemas. Nós também temos que nos basear na Palavra de Deus, na fração do pão, nas orações, na importância da liturgia e da celebração eucarística.


As diretrizes são muito importantes para garantir a comunhão e a colegialidade na Igreja no Brasil. É difícil pensar a Igreja no Brasil, um país continental. Por isto, é necessário ter este parâmetro. O texto, aprovado na 57ª Assembleia Geral, passou previamente por duas rodadas de revisões e acréscimos, feitos por todos os bispos do Brasil. Depois, nessa Assembleia, cada parágrafo foi votado individualmente, para a aprovação final do documento.


Nas diretrizes é central a proposta de uma experiência de Igreja que seja comunitária em oposição a uma fé muitas vezes vivida de forma individualizada. A ideia do humanismo integral e solidário, presente na Doutrina Social da Igreja, é expressa nas diretrizes nos desafios que falam de uma sociedade mais justa e fraterna.


Dom José Mário S. Angonese

Bispo Diocesano


 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas