FECHAR
 
 
Ano Pastoral 2018

A Diocese de Uruguaiana está se alinhando plenamente com as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil para o período 2016-2019. A partir daí, de acordo com sua própria caminhada, define e ordena as suas urgências e perspectivas de ação, de tal modo que estas contemplem as suas necessidades mais prementes. A reordenação das urgências, com suas respectivas ações evangelizadoras a serem observadas nos planos paroquiais, segue esta sequência:


1 A urgência que trata da IGREJA – COMUNIDADE DE COMUNIDADES é definida como o eixo integrador de todas as demais urgências, merecendo a atenção especial em todos os anos, tendo em vista a necessidade imperiosa de trabalhar exaustivamente a dimensão comunitária da vida cristã;


2 A urgência que trata da IGREJA EM ESTADO PERMANENTE DE MISSÃO será destacada no ano de 2016, constituindo-se numa rica oportunidade de aprofundar melhor a consciência da missionariedade de todos os fiéis e de qualificar e ampliar nossas práticas que apontem para uma Igreja “em saída”, misericordiosa e inclusiva;


3 A urgência que trata da IGREJA A SERVIÇO DA VIDA PLENA PARA TODOS será mais insistida no ano de 2017, enfocando a dimensão social da fé cristã e servindo de desafio para que voltemos nosso olhar e nossa atenção para aqueles que necessitam de tratamento especial, ou seja, os pobres, os abandonados, os sofredores e excluídos da sociedade e, muitas vezes, da própria Igreja;


4 A urgência que trata da IGREJA – CASA DA INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ será considerada especialmente no ano de 2018, oportunizando uma avaliação e o redimensionamento dos trabalhos feitos a partir do projeto diocesano implementado em 2015;


5 A urgência que trata da IGREJA – LUGAR DE ANIMAÇÃO BÍBLICA DA VIDA E DA PASTORAL merecerá atenção redobrada no ano de 2019, servindo como chance de verificar se a Palavra de Deus foi colocada como instância iluminadora e inspiradora de todas as nossas práticas eclesiais e reassumi-la ainda com maior empenho em todos os âmbitos.


IGREJA – CASA DA INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ (2018):


O bispo Dom Aloísio Alberto Dilli, ao apresentar o Projeto Diocesano da Iniciação à Vida Cristã, assim escreve: “Impulsionados pelo espírito  renovador do Concílio Ecumênico Vaticano II e, mais recentemente, diante dos incessantes apelos, ora do Documento de Aparecida e das Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, ora do próprio Papa Francisco e da documentação eclesial em sentido amplo, as Igrejas Particulares sentem o desafio e o compromisso da busca de novos caminhos para a evangelização. Para tal, é necessário submeter-se à corajosa conversão pastoral, passando de uma pastoral de mera conservação para uma pastoral decididamente missionária (cf. DAp 370). Estamos conscientes de que a presente mudança de época nos convoca a um estado permanente de missão, o que só é possível a partir de uma efetiva Iniciação à Vida Cristã”.


É necessário, pois, realizar uma evangelização que conduza os cristãos em geral a um aprofundamento do primeiro anúncio (querigma), de modo que eles percorram todas as etapas de um processo catecumenal e, assim, se realize a maturação da fé de cada um, decidido no encontro com a pessoa de Jesus Cristo e na participação da vida em comunidade, seguida dos engajamentos ulteriores.


As Diretrizes Gerais da CNBB, assim fundamenta esta urgência: “o estado permanente de missão implica uma efetiva iniciação à vida cristã. Cada tempo e lugar têm um modo característico para apresentar Jesus Cristo e suscitar nos corações o seguimento apaixonado à sua pessoa, que a todos convida para com ele vincular-se intimamente” (n. 41). Mais adiante o mesmo documento, afirma: “Trata-se de uma catequese de inspiração catecumenal. A adesão que tal processo de inspiração catecumenal promove deve ser feita pela primeira vez, mas refeita, fortalecida e ratificada tantas vezes quantas o cotidiano exigir. Nossas comunidades precisam ser mistagógicas, lugares por excelência da catequese, preparadas para favorecer que o encontro com Jesus Cristo se faça e se refaça permanentemente” (n. 43).


Tendo presente essa compreensão fundamental, decidimos investir nossas melhores energias nas seguintes ações:


  • -Implementar, efetivamente, todo o Projeto de Iniciação à Vida Cristã, como processo de inspiração catecumenal;

  • -Promover uma Pastoral Batismal como caminho de inserção e participação na vida da comunidade cristã, através de outro ordenamento, possibilitando a superação da prática tradicional, sendo parte integrante do processo de iniciação à vida cristã;

  • -Constituir e/ou fortalecer equipes de liturgia e de celebração, com formação específica, agindo de forma integrada;

  • -Estabelecer e consolidar a relação integradora entre Catequese e Liturgia, como duas faces do mesmo mistério;

  • -Proporcionar o acesso da comunidade cristã em geral a uma visão integrada e integradora dos vários momentos da iniciação à vida cristã, mediante uma prática orgânica e sistemática.

 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas