FECHAR
 
 

Como é que podemos mostrar ao mundo que Jesus está vivo e continua a oferecer aos homens a salvação?


David Livingstone nasceu na Escócia, em 1813. Em sua mocidade, ele decidiu-se a propagar o cristianismo na África e tornou-se grande missionário.


Em suas viagens pelo interior da África, ele estudou a natureza e descobriu dezenas de espécies de raízes comestíveis e de frutos do deserto, que não eram cultivados. Com esses estudos tornou-se um médico naturalista, ajudando pessoas que vinham de povoados às vezes muito distantes, para receberem seu tratamento.


Percorreu o interior da África, onde perdeu sua própria esposa, vítima de uma febre fatal. Mesmo assim, continuou sua missão de pregar o amor de Cristo, até quando faleceu. Seus companheiros de peregrinação o encontraram de joelhos ao lado da cama; no momento de sua partida, estivera conversando com Deus, de quem sempre falava aos nativos.


Anos mais tarde, outros missionários resolveram retomar os caminhos de Livingstone na África. Quando começaram a falar de Cristo e de seu amor, ficaram surpresos ao ouvir dos nativos:


- Nós já conhecemos esse homem! Ele viveu aqui conosco.!

- Não, não é bem isso, falou o missionário. Estamos falando de Jesus Cristo, que viveu há dois mil anos, explicaram os missionários.


Sim, insistiram os africanos, o homem que você falou esteve por aqui também. Livingstone teve uma vida tão exemplar que foi confundido com o próprio Cristo.


Todos nós, cristãos, somos chamados a ser testemunhas da presença do Ressuscitado, através de nossas palavras e ações, do nosso testemunho. Não adianta proclamar que Jesus ressuscitou e não viver o projeto do Reino que ele anunciou e viveu.


Cristo, ainda hoje, continua nos lembrando: "Vocês também devem ser minhas testemunhas." "Quem diz eu conheço a Deus, mas não guarda seus mandamentos é mentiroso e a verdade não está nele.”  (1Jo 2,4)


É no encontro comunitário, no diálogo com os irmãos que partilham a mesma fé, na escuta comunitária da Palavra de Deus, no amor partilhado em gestos de fraternidade e de serviço, que os discípulos podem fazer a experiência do encontro com Jesus ressuscitado. Depois desse “encontro”, os discípulos são convidados a dar testemunho de Jesus diante dos outros homens e mulheres.


Cristo continua precisando, ainda hoje, de testemunhas para o seu Evangelho. Até que ponto, somos TESTEMUNHAS de Cristo: conhecendo, … vivendo, … e anunciando, … a sua mensagem?


Dom José Mário S. Angonese

Bispo Diocesano


 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas