FECHAR
 
 
História
História da Diocese

História da Diocese

“Eu sou a videira, vós sois os ramos,
árvore santa, que meu Pai plantou e ama.
Que dá bons frutos, com sabor de Espírito,
nesta Diocese, Terra Santa, Uruguaiana”.
(“SER IGREJA DE URUGUAIANA”, Fr. Luiz Carlos Susin)

Data de Fundação: 15 de agosto de 1910

Bula Papal: “Praedecessorum nostrorum”

Bispo Diocesano: Dom José Mário Scalon Angonese

Lema Episcopal: EIS-ME AQUI, ENVIA-ME.

Bispo Emérito: Dom Ângelo Domingos Salvador, OFMCap

Padroeiros Diocesanos: São Miguel Arcanjo, por Declaração do Papa Pio XI, de 18.06.1925 e Nossa Senhora Conquistadora, por Breve Apostólico do Papa Pio XII, de 07.06.1957

Criada no dia 15 de agosto de 1910, com as Dioceses de Santa Maria e de Pelotas, pela Bula Papal Praedecessorum nostrorum, de Pio X, a DIOCESE DE URUGUAIANA está situada no oeste do Rio Grande do Sul, contando com 13 Municípios e 429.057 habitantes, num território de 35.439 km2. A Diocese de Uruguaiana dispõe atualmente de 16 Paróquias – sendo uma coordenada por Comunidade Religiosa –, num total de 292 Comunidades, com 14 casas religiosas e sete Escolas Católicas, que integram 44 Religiosos. Ao lado de grande número de leigos, a ação evangelizadora é dinamizada por Presbitério que conta com 23 padres diocesanos e dois Religiosos Padres.

No dia 15 de agosto de 2018, a Diocese de Uruguaiana celebrará 108 anos de criação. Conheça a história desta Nossa “Terra Santa”:

No início do século XX, Dom Cláudio José Ponce de Leão, 3º Bispo do Rio Grande do Sul, auxiliado pelo Bispo Coadjutor Dom João Antonio Pimenta, elaborou um plano de evangelização e enviou à Santa Sé. Esta iniciativa daria origem a Diocese de Uruguaiana.

Em 15 de agosto de 1910, pela Bula “Praedecessorum nostrorum”, o Papa Pio X aprovava a criação das Dioceses de Santa Maria, Pelotas e Uruguaiana. Neste mesmo documento papal, a Diocese de Porto Alegre foi elevada a sede metropolitana. Até esta data havia apenas um bispado no estado com sede em Porto Alegre. A instalação da Diocese de Uruguaiana aconteceu em 19 de maio de 1912, quando tomou posse o primeiro bispo, Dom Hermeto José Pinheiro.

Com a criação da Diocese de Uruguaiana, o antigo território dos Sete Povos das Missões ficam incorporados a nova Diocese. Os jesuítas, em vista do que estabelecera o Tratado de Tordesilhas, resolveram, em 1926, chefiados pelo Pe. Roque Gonzales, atravessar o Rio Uruguai e iniciar na margem esquerda as novas reduções: São Nicolau (1628), São Miguel e São Luiz Gonzaga (1632), São Borja (1682), São Lourenço (1691), São João Batista (1699) e Santo Ângelo (1707).

Da Diocese de Uruguaiana originou-se parte do território da Diocese de Bagé (1960) e a totalidade do território da Diocese de Santo Ângelo (1962). Pertenciam inicialmente a Diocese de Uruguaiana as cidades de Alecrim, Alegrete, Vila Alegria, Cacequi, Caibaté, Campina das Missões, Catuípe, Cerro Largo, Cinquentenário, Dom Pedrito, Giruá, São Vicente, Guarani das Missões, Horizontina, Inhacorá, Itaqui, Mata, Piapó, Porto Lucena, Quaraí, Livramento, Santa Rosa, Rosário do Sul, Santo Ângelo, Santo Cristo, San-tiago, São Borja, São Francisco de Assis, São Gabriel, São Luiz Gonzaga, São Miguel, São Paulo das Missões, São Pedro do Pontão, Três de Maio e Tucunduva.